O uso de macrofibras pode auxiliar a amenizar os custos de obra através do concreto. Confira mais sobre esses reajustes nos preços em nosso artigo!

O ano de 2021, ainda impactado pela pandemia, foi marcado pela alta nos custos de materiais de construção. Dessa forma, houve um aumento de 17,45% no Custo Unitário Básico (CUB/m²). Já o primeiro trimestre de 2022 teve um cenário bem parecido. Além disso, com expectativa de aumento ainda maior no restante do ano.

Além dos sucessivos aumentos, que já ocorrem, 2022 também conta com a conjuntura nacional marcada pelo aumento da taxa básica de juros (Selic). Por outro lado, as incertezas do cenário eleitoral, que somados podem afetar cada vez mais o setor de construção civil.

Mas como podemos amenizar os custos de obra com esses reajustes através do concreto?

Diante do contexto que apresentamos é comum que haja aumentos nos custos do concreto usinado. O qual é difícil ser alterado devido à resistência exigida em projetos, dentre outros fatores. Mas existem algumas formas de baratear o concreto sem perder sua qualidade.

Uso de macrofibras

A fibra estrutural para concreto (macrofibra) tem a capacidade de substituir a tela metálica (malha estrutural), na maioria dos projetos de piso com economia e praticidade. A microfibra de polipropileno, além de ser mais barata que a malha metálica – uma vez que o aço foi um dos materiais afetados pelo aumento dos custos na construção – também possibilita o desuso da bomba de concreto, já que o caminhão convencional – que possui menor custo – pode estar próximo ao local da aplicação. Sem contar com a praticidade de execução que reduz a mão-de-obra. Isso tudo ainda proporcionando ductilidade ao concreto e o controle eficaz das fissuras.

Uso de aditivos

Os aditivos plastificantes e superplastificantes são produtos que possibilitam o aumento da trabalhabilidade do concreto sem a adição de água, que afetaria diretamente na resistência, uma vez que está relacionada ao fator água/cimento. O produto possibilita alcançar a mesma consistência com uma quantidade de água pelo menos 6% menor, permitindo assim a produção de um concreto mais resistente.

Ou seja, com a soma dos aditivos pode-se diminuir o custo com mão-de-obra, graças ao concreto “mole” que facilitará o lançamento, e ainda garantirá a qualidade da sua compra.

Além dessas práticas há ainda costumes diários que podem ajudar na economia, como evitar a obra parada realizando um bom planejamento e um agendamento pontual com a concreteira. 

Porém, antes da tomada de decisão é necessário o estudo do projeto da sua obra. Por isso, é prioritário analisar quaisquer reajustes com o responsável da obra, bem como os fornecedores, garantindo uma qualidade de todas as partes.