No Brasil existem 5 tipos básicos de cimento, com algumas variações decorrentes de adições que alteram suas características. Apesar de todos os tipos serem indicados para uso geral na construção civil, suas diferenças são fatores essenciais para determinar seu uso em situações específicas.

Mas o que é o cimento?
O cimento é um material fundamental na construção civil e tem como principal função unir diferentes componentes de uma estrutura, proporcionando resistência e durabilidade.


• Cimento CP-I: Cimento Portland Comum, não leva nenhum outro tipo de adição além do gesso. Sua classe de resistência é de 25 Mpa. É um tipo de cimento utilizado em obras onde ele não fique exposto a ambientes desfavoráveis, por exemplo: locais com águas subterrâneas.
• Cimento CP-II: Cimento Portland Composto. Se diferencia devido às adições utilizadas em sua composição e possui três variações:

  • o O CP-II F: composto com adição de material filler calcário, que ajuda no empacotamento granulométrico do cimento provendo maiores resistências com consumos menores de clínquer;
  • o O CP-II E: composto com adição de escória de alto forno, resíduo da produção do ferro gusa, que diminui a geração de calor referente ao processo de hidratação do cimento;
  • o CP-II Z: composto com adição de pozolana, diminui a permeabilidade do cimento endurecido devido a reações entre a pozolana e os subprodutos gerados pela reação de hidratação do cimento.

• Cimento CP-III: Cimento Portland de Alto-Forno. Assim como o CP-II E, conta com adição de escória de alto forno, a diferença está no teor de escória utilizado que pode ir de 25 a 75%. Esse cimento apresenta características de baixo calor de hidratação, menor permeabilidade, alta resistência à reação álcali-agregado e ao ataque de sulfatos. É usado em obras de grande porte.
• Cimento CP-IV: Cimento Portland Pozolânico. Apresenta adição de pozolana, assim como o CP-II Z, porém o teor utilizado pode variar de 15 a 50% enquanto o CP-II Z utiliza de 6 a 14% da adição. O CP-IV é um cimento de baixo calor de hidratação e alta resistência ao ataque de sulfatos.
• Cimento CP-V ARI: Cimento Portland de Alta Resistência Inicial. Bastante conhecido no mercado, apresenta uma granulometria mais fina do clínquer o que proporciona reações de hidratação mais efetivas, melhorando o desenvolvimento das resistências nas primeiras idades e possibilitando desformas em menor tempo. Conta ainda com uma variação, o CPV ARI – RS, com as mesmas características de resistência inicial, porém a adição de pozolana adquire resistência ao ataque de sulfatos.

Apesar de tantas diversidades, os tipos podem variar conforme a região, demandas e disponibilidades de fornecedores. A Concresuper, por exemplo, não utiliza CP-III, uma vez que é uma variação rara no estado do Paraná. Mas, vale considerar que cada obra tem sua necessidade e cabe ao Engenheiro responsável estudar a viabilidade do uso de cada tipo de cimento.

A Concresuper conta com Engenheiros e consultores técnicos capazes de auxiliar nessa escolha, para maiores informações entre em contato com nossos representantes.