O resfriamento do concreto pode evitar sérios problemas na estrutura. Saiba como e quando usar!

Projetos que demandam um alto volume de concretagem necessitam de cuidados especiais por causa da alta liberação de calor. Quando não se dá atenção a esse fenômeno, a estrutura pode perder vida útil e desempenho. Nesses casos, o resfriamento do concreto é uma solução 

Entenda quando é necessário usar essa técnica e qual a melhor forma de usá-la!

A importância do resfriamento do concreto

O principal fator que determina o uso do concreto resfriado é a temperatura da mistura. Por isso, acontece que quanto a mistura supera 25°C de diferença em relação à temperatura do ambiente, aumentam-se as chances de fissuras. Sendo assim, ao atingir 65°C, ocorre um fenômeno conhecido como etringite tardia, que causa expansão, gerando fissuração e deterioração da estrutura.

Essas ocorrências são mais prováveis em estruturas de maior porte. Por isso, nesses casos, o cuidado precisa ser redobrado para que o calor gerado durante a hidratação não varie conforme a aplicação.

A melhor forma de usar concreto resfriado

O resfriamento do concreto é uma técnica que consiste na adição de gelo na mistura, podendo assim substituir total ou parcialmente a água na dosagem.

O gelo precisa ser moído para ficar pronto para o uso e é normalmente armazenado em caminhões frigoríficos. Então, ele é despejado no caminhão betoneira um pouco antes da carga.

Em projetos maiores, pode ser necessário montar uma usina de gelo no próprio canteiro de obras, para facilitar a logística da operação.

Gostou de saber mais sobre como usar o resfriamento do concreto? Então, assine nossa newsletter e receba em primeira mão nossos conteúdos!